Auto Gouveia

FIA revela novo capacete para a Fórmula 1

Imagem1



A FIA apresentou um novo capacete ‘standard’ que será obrigatório na Fórmula 1 a partir do próximo ano. Oferece mais segurança e segundo a FIA, tem maiores capacidades de absorver energia.

 

Se há uma área em que a FIA não descansa é precisamente a da segurança, e neste particular estão constantemente a ser pensadas novas formas de ‘possibilitar’ aos pilotos menores probabilidades de se lesionarem.

Desta feita o ‘alvo’ foi o capacete, sendo que entre as diversas mudanças, está a redução de 10 mm na parte superior da viseira, de modo a ser possível a incorporação de uma proteção balística avançada, que visa oferecer muito maior proteção face ao possível impacto de detritos em pista. As mudanças incluem também maior área de proteção nos lados, sendo que foram utilizados materiais compostos para garantir que são fortes mas ao mesmo tempo resistentes ao esmagamento e penetração.

Este capacete denomina-se FIA 8860-2018 e de acordo com o diretor de segurança da FIA, Laurent Mekies, tem o mais elevado grau de proteção, pois oferece melhor absorção de impactos e proteção numa zona de maior do capacete. A FIA tem vindo a trabalhar com a diversas empresas fornecedoras de capacetes da F1 como a Stilo, Bell, Arai e Schübert e todas elas terão os seus capacetes prontos a tempo da próxima temporada: “Os atuais capacetes já são os mais seguros do mundo, mas este novo padrão vai elevá-los para outro nível” lê-se no comunicado da FIA.

Fique a conhecer os testes a que o novo capacete foi submetido:
Impacto padrão: Impacto do capacete lançado a 9 m/s. A desaceleração máxima na cabeça do piloto não deve passar de 275G.
Impacto de baixa velocidade: Impacto do capacete a 6 m/s. A desaceleração de pico não deve passar dos 200G, com uma média máxima de 180g.
Baixo impacto lateral: Impacto do capacete a 8,5 m/s. Pico de desaceleração não deve exceder 275G.
Proteção balística avançada: Projétil de metal de 225g disparado a 250 km/h. O pico de desaceleração não deve exceder 275G.
Esmagamento: Um peso de 10 kg foi largado a 5,1m de altura sobre o capacete. Foram executados testes laterais e longitudinais. A força transmitida não deve exceder os 10 kN.
Penetração do capacete: Um pêndulo de 4 kg foi lançado sobre o capacete a 7,7 m/s.
Penetração da viseira: Uma pistola de ar dispara uma ‘bola’ de 1.2g na viseira. A bola não pode penetrar o interior do capacete.
Revestimento da viseira: Teste de transmissor para garantir que a coloração e visão não possa ser significativamente modificada ou distorcida.
Sistema de retenção: Teste de rolamento e dinâmico, de modo a garantir a resistência da cinta de queixo e dos seus acessórios.
Impacto linear da proteção de queixo: Teste de impacto com a cabeça ‘cheia’ a 5.5 m/s. O pico de desaceleração não pode exceder 275G;
Esmagamento e proteção de queixo: Martelo a bater na proteção de queixo, medindo-se a capacidade de manter o impacto longe da cabeça.
Resistência mecânica do FHR (contenção frontal de cabeça): Teste para garantir a alta resistência dos pontos de fixação da contenção frontal de cabeça.
Projeção e fricção da superfície: Teste para garantir a uniformidade da superfície do capacete e que a fricção seja minimizada. A superfície do capacete também foi submetida ao teste de dureza ‘Barcol’ para atestar a resistência à penetração.
Inflamabilidade: Capacete exposto a fogo com temperatura de 790ºC, que se deve auto-extinguir quando a chama for removida.


Fonte: motor24.pt

08-06-2018
Auto Gouveia por Messenger

Filtros de Pesquisa

Owl Image
Owl Image


INÍCIO | QUEM SOMOS | STOCK | FINANCIAMENTO | AG SEGUROS | AG GARANTIA | VENDA O SEU CARRO | CONTACTOS | ÁLBUM | NOTÍCIAS