BMW Série 4 apresenta-se para afrontar concorrência

Embora já quase sem novidades para mostrar, devido às fugas de informação e imagens dos últimos dias, o novo BMW Série 4 acaba de ser oficialmente desvendado, online, revelando não só aquilo que já se sabia, como mais um pouco, ainda. E que faz desta segunda geração do Coupé alemão, uma séria ameaça para a concorrência!

Comecemos por aquilo que, embora já visto por diversas vezes e em diferentes imagens, continua a causar (merecido) impacto: a exuberante grelha frontal.

Específica deste novo BMW Série 4 – até porque e conforme a TURBO já avançou, a intenção da marca de Munique é começar a fazer deste componente, um elemento de diferenciação entre os vários modelos BMW -, a nova grelha frontal não só cresceu em dimensões, como tornou-se mais impositiva, mais destacada. Tornando-se, nesta evolução, não apenas mais um elemento de personalidade e carácter, como também, um factor de maior polémica; assim, do género, “ou se ama, ou se odeia”!

Ladeada por umas novas ópticas LED mais rasgadas, além de um pára-choques esculpido e de entradas de ar vigorosamente marcadas, a nova grelha torna-se o primeiro passo num corpo a respirar intensidade em todos os seus planos. Mas que, também, não esconde algumas semelhanças com o mais estatutário Série 8. Inclusive, num perfil que se anuncia com uma linha de cintura alta e em picado, além de com cavas das rodas bem marcadas.

Ainda no exterior e a terminar, uma traseira bem integrada na linha fluída do tejadilho, com um airelon integrado na tampa da mala, mas também com farolins não menos intensos e um pára-choques com duas generosas ponteira de escape a prometer potência.

Num corpo que tem por base a conhecida plataforma CLAR, a permitir, por exemplo e face ao Série 3, menos 21 mm na altura ao solo e mais 23 mm de largura no eixo traseiro, menos novidades, no entanto, no interior do habitáculo. O qual e tal como já tivemos oportunidade de avançar, replica, em grande parte, o interior do Série 3, ainda que, com um volante redesenhado e a apresentar novos controlos multifunções, novos bancos desportivos (de série), além de uma extensa oferta em termos de revestimentos, cores e decorações.

A par destes, a promessa, da parte da BMW, de um novo pára-brisas com tratamento acústico mais apurado e melhores vedantes nas portas, tudo como forma a garantir um ambiente mais tranquilo, ao mesmo tempo que e a pensar especificamente no condutor, presente está, também, a versão Plus do BMW Live Cockpit. Sinónimo de um painel de instrumentos 100% digital de 10,3″ e um ecrã central de 12,3″, ambos de série, e que pode receber, ainda, um head-up display de dimensões maiores… opcional.

De resto e no que concerne a tecnologias, sistemas de segurança e apoio à condução que garantem ao novo BMW Série 4, agora desvendado, a etiqueta de Nível 3 de Condução Autónoma. Graças, não só, ao Cruise Control activo, mas também ao sistema de mudança autónoma de faixa.

Quanto às motorizações, a confirmação, agora pela BMW, de que o novo Série 4 Coupé manterá, basicamente, os mesmos motores do Série 3, à excepção das versões topo de gama M Performance, M440i xDrive a gasolina e M440d xDrive a gasóleo E que são estreias absolutas, num Série 4.

Ambas recorrendo a um seis cilindros 3.0 biturbo, combinado com tecnologia híbrida de 48V – solução presente, aliás, em todos os motores de seis cilindros -, tal permite, por exemplo, ao M440i a gasolina, anunciar 374 cv de potência e 500 Nm de binário, além de 4,5s na aceleração dos 0 aos 100 km/n e 250 km/h de velocidade máxima.

Já o 440d, com 340 cv de potência e 700 Nm de binário, anuncia como prestações apenas mais 0,2 segundos na aceleração 0-100 km/h que o “irmão” a gasolina, para em seguida o igualar, nos 250 km/h de velocidade máxima.

Igualmente disponíveis, logo a partir do lançamento, os blocos de quatro cilindros 2.0 litros turbo a gasolina e a gasóleo. No primeiro caso, o 420i de 184 cv e o 430i de 258 cv, ao passo que, a gasóleo, o 420d de 190 cv. Sendo que, já com motor seis cilindros 3.0 litros, surge o 430d.

De destacar, ainda, que, todas as motorizações serão propostas de série com caixa automática Steptronic de oito velocidades, a qual, ainda assim, pode ser trocada por uma variante mais desportiva, a Steptronic Sport, equipada com uma nova função Sprint, para passagens mais rápidas e desportivas.

Quanto à tracção integral xDrive, será proposta de série apenas com as motorizações de seis cilindros, à excepção do 420d, que também contará com uma variante de quatro rodas motrizes.

Ainda no capítulo técnico, referência, no BMW Série 4 Coupé agora desvendado, para o reforço do chassis, novas geometrias e taragens nas suspensões, além de um setup específico na direcção assistida e sistema de travagem.

Embora a BMW prefira, pelo menos para já, não revelar muito, até porque ainda demorará algum tempo, confirmado fica, igualmente, que o novo Série 4 Coupé não ficará muito tempo sozinho, mas receberá, no futuro, a companhia de outras variantes. Como é o caso, por exemplo, de um descapotável (Série 4 Cabrio) ou de uma berlina (Série 4 Gran Coupé).

Na calha está, ainda, uma versão fortemente desportiva, o sempre muito aguardado M4, que, a exemplo de outros modelos do género, promete desmultiplicar-se por várias versões: CS, GTS, Competition, etc…

De resto e embora ainda por confirmar, rumores avançam que este M4 poderá chegar impulsionado pelo mesmo seis cilindros em linha 3,0 litros Twin-Turbo que está disponível nalgumas versões do Série 4 apresentado agora, embora debitando “um pouco mais” de potência. Pelo menos, 500 cv, segundo consta…

Para já sem preços ou níveis de equipamento definidos, o novo BMW Série 4 tem, no entanto, já data de chegada à Europa, fixada: outubro de 2020.

8 de junho de 2020

Fonte: turbo.pt
Mais artigos